Inscrições

As inscrições para o evento ocorrerão de forma presencial, a partir de fichas que estão disponíveis no Laboratório de Estudos da Política (Gabinete 9 do curso de Filosofia), da Universidade Estadual Vale do Acaraú. Procurar no campus Betânia a coordenação do curso de filosofia.

Preço das inscrições: R$20,00

Participantes de outras cidades e estados deverão enviar um e-mail para nosso contato: gepede.sobral@gmail.com. O e-mail deverá explicitar a vontade de inscrição, bem como conter NOME COMPLETO, INSTITUIÇÃO E TELEFONE. Uma resposta para confirmar a inscrição será enviada, contendo também informação acerca da realização do pagamento.

Em caso de dúvida comunique-se através de nosso e-mail: gepede.sobral@gmail.com

Minicursos

O evento irá disponibilizar quatro minicursos durante o horário da tarde dos dois primeiros dias do evento (dias 24 e 25 de setembro).

Cada minicurso disponibilizará 30 vagas. Você poderá se inscrever através dos formulários abaixo, mas é preciso já estar inscrito no evento, pois é necessário um número de inscrição.

Saiba mais sobre cada minicurso abaixo.

Horários e salas

Os minicursos acontecerão na Universidade Estadual Vale do Acaraú no BLOCO DA PEDAGOGIA, durante o horário da tarde de 14:30 às 16:30.

Estas são as salas designadas para cada minicurso.

  • Minicurso A – Política e Mundo em Hannah Arendt – Sala 01 – Térreo
  • Minicurso B – Biopolítica em Foucault – Sala 02 – Térreo
  • Minicurso C – Totalitarismo e Violência: aspectos negadores da política – Sala 05 – Primeiro andar

Minicurso A – Política e Mundo em Hannah Arendt

Ministrantes: Jameli Oliveira (Mestrado) e Kellyson do Nascimento Santos (Graduando)

(As inscrições para os minicursos foram encerradas.)

O intuito deste minicurso é trazer como tema a correlação entre política e mundo em Hannah Arendt, explorando a polissemia do conceito de mundo da autora, ora tratando-o como artifício humano, ora como constituído politicamente pelos homens de ação.

Para ambos, para a política e para o mundo, é necessária a mediação dos homens, de modo que pensar as várias formas de convívio no mundo, políticas e não políticas, será o fio condutor de nossa discussão.

Tal discussão objetiva pensar a estatura da política hoje, como sabemos, em grande medida descredibilizada.

Minicurso B – Biopolítica em Foucault

Ministrantes: Antônia Carla Victor de Paiva (Mestranda) e Mária Tânia Rodrigues (Graduada)

(As inscrições para os minicursos foram encerradas.)

O minicurso consiste na apresentação inicial de conceitos fundamentais da fase genealógica de Foucault, tais como poder, saber e sua relação, bem como o conceito de biopoder, na qual subdivide-se em poder disciplinar e biopolítica. Este último será o ponto primordial deste minicurso.

No primeiro dia haverá uma apresentação do poder soberano, poder disciplinar e suas consequências na sociedade.

No segundo dia, teremos uma abordagem da biopolítica em relação aos acontecimentos políticos contemporâneos.

Assim, o objetivo deste minicurso é trazer à tona a biopolítica, conceituada por Michel Foucault, como uma forma de saber-poder dentro da contemporaneidade.

Minicurso C – Totalitarismo e Violência: aspectos negadores da política

Ministrantes: Suzana Almeida (Mestranda), Benedito Carlos dos Santos Mesquita (Graduando) e Pedro Henrique do Nascimento (Graduando)

(As inscrições para os minicursos foram encerradas.)

O presente minicurso consiste na apresentação sobre os regimes totalitários que sempre foram perigos ao espaço público e à política. Para Hannah Arendt, o totalitarismo é uma forma de governo que consiste no uso da violência e do terror para reprimir e negar qualquer pensamento contrário e que possa ser diferente daquele que governa, ferindo os direitos individuais e os direitos de exercerem a política.

Nesse sentido, abordamos a problemática do totalitarismo, violência e liberdade em meio ao contexto político, no qual Arendt tem a pretensão de investigar a relação entre violência e poder, e como ela se manifesta em meio âmbito político, pois segundo a mesma é o desejo de se obter poder pelo Estado que faz permanecer a violência entre as relações política, tendo assim o equívoco de entender o poder como sinônimo de violência.

Neste contexto, se faz necessária a compreensão do totalitarismo mediante ao pensamento de Hannah Arendt para melhor entendimento sobre a autal conjuntura política.

 

 

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: